Notícias CROSC

Luta do CRO-SC avança primeiros passos para projeto de lei por odontologia hospitalar no estado

Uma reunião sobre Projeto de Lei de Obrigatoriedade da Odontologia Hospitalar nas UTIs Públicas e Privadas de SC realizou-se ontem (1º) entre o CRO-SC e o deputado estadual Kennedy Nunes, que recebeu na Assembleia Legislativa a presidente Sandra Silvestre, o diretor secretário Wilson Andriani Jr. e a presidente da Comissão de Odontologia Hospitalar do Conselho, Catherine Schmitz Espezim.

O deputado mostrou-se interessado na apresentação de motivos e nos números apresentados e declarou ser amplamente favorável à ideia. De imediato, encaminhou o material recebido à sua assessoria jurídica e já informou que sua intenção é de encaminhar PL à Comissão de Constituição e Justiça da Alesc o quanto antes. Ele levantou também a possibilidade de realizar uma audiência pública para debater o assunto com todos os setores envolvidos.

A visita fez parte da luta do CRO-SC pela implantação da odontologia hospitalar em Santa Catarina, sendo que já houve reunião com o governador Carlos Moisés, o secretário adjunto da secretaria Estadual da Saúde Alexandre Lencina Fagundes e o secretário Executivo de Articulação Nacional Lucas Esmeraldino para tratar do assunto. Na ocasião, Carlos Moisés ouviu com especial interesse as explanação da presidente Sandra Silvestre sobre o assunto. Há cerca de 10 dias, o Conselho enviou ofício pedindo apoio a todos os deputados e já recebeu vários retornos, como o do deputado Kennedy Nunes.

“É urgente que em nosso estado seja proposta lei que torne obrigatória a presença de profissionais de odontologia na equipe multiprofissional das unidades de terapia intensiva (UTIs), de clínicas e hospitais públicos ou privados em que existam pacientes internados”, informou Silvestre ao deputado, destacando as informações, dados e estudos que já foram enviados ao gabinete.

Catherine Schmitz Espezim explicou ao deputado o grande risco das infecções com origem oral se transformarem em pneumonias, que é a principal complicação associada aos cuidados de saúde na UTI, ocorrendo em até 40% dos pacientes em ventilação mecânica, e pode ser prevenida com protocolos de higiene oral, remoção de focos infecciosos de origem odontológica entre outras medidas. “E com o Covid ficou ainda mais evidente a importância da presença do cirurgião-dentista para conter infecções que podem agravar o quadro clínico do paciente” lembrou ela.            

Gostou desse conteúdo? Compartilhe com outros Colegas

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on telegram
Share on linkedin