Notícias CROSC

Dia Nacional da Saúde: importância da odontologia do esporte nas Olimpíadas de Tóquio 2020

Neste Dia Nacional da Saúde, 5 de agosto, o Sistema CFO/CROs  reforça a importância da Odontologia do Esporte, enquanto especialidade Odontológica, no cuidado específico com a saúde bucal dos atletas brasileiros. A data, que marca a reta final das Olimpíadas de Tóquio 2020, evidencia o papel do Cirurgião-Dentista na equipe interdisciplinar que presta assistência integral do atleta, para prevenção e tratamento do sistema estomatognático (cavidade bucal, músculos, articulações e demais estruturas da face) com foco no rendimento esportivo e manutenção da saúde sistêmica.

Durante a prática esportiva são necessários cuidados específicos de prevenção, como os protetores bucais utilizados em algumas modalidades, assim como o tratamento de eventuais doenças e de traumas, que, a depender da modalidade praticada, podem ser extremamente comuns. O Cirurgião-Dentista é capaz de prevenir e tratar lesões articulares e musculares, considerando o risco elevado na rotina esportiva.

Doenças periodontais e problemas endodônticos podem gerar sérios riscos à saúde cardíaca, a exemplo da endocardite infecciosa. Distúrbios cardíacos podem ser desencadeados, principalmente quando há alguma doença cardíaca já instalada e às vezes não conhecida. Além disso, microrganismos da cavidade oral, presentes em infecções endodônticas e periodontais podem, por sua vez, ser disseminadas pela corrente sanguínea e se instalar em outras partes saudáveis.

O Presidente do CFO, Juliano do Vale, evidencia que esse cuidado específico é indispensável para qualidade da saúde do atleta (integridade física, mental e sensorial). “O sorriso da delegação brasileira nos Jogos Olímpicos de Tóquio reflete exatamente a necessidade do cuidado com a saúde bucal. Por isso, o CFO busca no Congresso Nacional que essa assistência odontológica seja assegurada como lei federal aos atletas, profissionais e em formação. O Projeto de Lei 11.163/2018, que garante esse direito, encontra-se na Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania da Câmara dos Deputados. É preciso ampliar esse cuidado como direito à saúde integral”, afirmou.

Para o CFO, que regulamentou a Odontologia do Esporte em 2015 (Resolução 160), a saúde bucal precisa receber o mesmo aporte, cuidado e atenção destinado ao avanço tecnológico e em pesquisas no segmento esportivo. “É preciso considerar que esse cuidado impacta diretamente no conjunto de prioridades do atleta, vinculados à saúde, como conquistas, carreira, modalidade esportiva e país ao qual ele representa”, completou o Presidente do CFO.

Gostou desse conteúdo? Compartilhe com outros Colegas

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on telegram
Share on linkedin