Notícias CROSC

Odontologia promissora: busca por conhecimento é essencial para qualidade da saúde bucal

Existem diferentes caminhos na profissão de Cirurgião-Dentista, mas o fato é que a Odontologia é um mercado promissor, com base na necessidade da população. De acordo com dados do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (IPEA), a Odontologia é a segunda profissão mais rentável do Brasil. Isso é reflexo do grande avanço tecnológico e de especialidades na área, considerado referência internacional em saúde bucal.

Segundo informações do Conselho Federal de Odontologia (CFO), atualizadas diariamente, o número de 328 mil Cirurgiões-Dentistas inscritos no país. Desses, somente 36% tem algum tipo de especialização, sendo a Ortodontia o maior número, ocupando 23% das especialidades e a Odontologia do Esporte com apenas 0.02%, o menor campo da profissão. Considerando os últimos dez anos – de 2008 a 2018 – surgiram 132.672 novos Cirurgiões-Dentistas inscritos.

Para a Cirurgiã-Dentista Viviane Dourado (CRO-BA-4496), professora universitária em Odontologia há mais de 20 anos e Conselheira Federal do CFO, o mercado de trabalho da Odontologia é favorável, mas para o sucesso, a busca pelo conhecimento é essencial. “Toda área, principalmente a da saúde, o profissional precisa sempre se atualizar obtendo novas técnicas e novidades constantes como na área de Implantodontia, por exemplo. A área da saúde é muito dinâmica e lidamos com vidas, uma responsabilidade muito grande para o Cirurgião-Dentista, por isso a constante preocupação em se atualizar”, afirma.

Além da constante busca pelo conhecimento, os campos de atuação também devem ser levados em conta. A Odontologia brasileira possui ampla lista de especialidades, com o total de 23 ramos. São as áreas mais conhecidas como a Ortodontia, Endodontia, Implantodontia e outras como Estomatologia, Odontologia Legal e Odontologia para Pacientes com Necessidades Especiais, campos com um menor número de Cirurgiões-Dentistas, mas que também fazem parte do mercado.

Viviane lembra que existem outras formas de atuação para os profissionais da Odontologia: “A odontologia oferece várias áreas de atuação, além de quem atende em consultório. Para quem não tem tato para lidar com paciente, por exemplo, existe a patologia, também temos mercados como a área militar e no Sistema Único de Saúde (SUS) que oferece opções como levantamentos epidemiológicos e estudos para a melhora na qualidade de atendimento”.

Outra área importante para a profissão da Odontologia é a docência, prática exercida com muito orgulho pela Conselheira Federal. “Todo o tempo estamos impelidos a estudar e se atualizar por conta do mercado e dos alunos. Essa abordagem dentro da docência é muito prazerosa por conta dessa troca de informações. Além disso, saber que você faz parte da formação de um futuro Cirurgião-Dentista é muito bom, faz com que você tenha uma responsabilidade muito maior”, destaca Viviane.

Ser professor da área odontológica não é só pra quem tem muito tempo de carreira. Samantha Sousa, Cirurgiã-Dentista recém-formada (CRO-DF-CD-12880), já está na busca pela carreira de docente. Formada em julho de 2019 na Universidade de Brasília (UnB), após ter desistido de outro curso superior para exercer a Odontologia, está no programa de pós-graduação da universidade para o título de mestre. “Sou mestranda da UnB na linha de pesquisa de Materiais Dentários. A vida acadêmica é o meu principal objetivo. Pretendo dar aula em universidade e perpetuar todos os princípios e fundamentos adquiridos, me dispondo a ser uma eterna aprendiz. Estudar é algo que gosto e faço por amor”, explica.

Samantha, que trabalha como clínica geral também não descarta outras oportunidades. ”Minha formação ainda é muito recente, preciso experimentar muita coisa. Costumo dizer que não fecharia uma grande porta que me fosse aberta, então ainda irei desbravar muitas coisas que poderão definir certamente a carreira pela qual deverei seguir. Gosto da odontologia, seja ela em qualquer de suas faces, mas tenho prioridade na vida acadêmica como foco profissional”.

E para quem vai se formar?

Estudantes também devem pensar sempre em caminhos para seguir, evitando ficar desatualizados da profissão. A estudante de Odontologia, Ariene Karenne, tem consciência do amplo mercado de trabalho e de opções que pretende seguir. “Considero o mercado bom porque podemos trabalhar em diversas especialidades, além de tentar a forma autônoma ou na área pública. Gosto muito da área de Cirurgia e Traumatologia Buco-Maxilo-Facial, porque existem muitas possibilidades, desde diagnóstico até a própria cirurgia.” Ariene que sempre considerou morar fora também comenta da profissão no Canadá. “O processo de regulamentação no Canadá é um pouco difícil, porém vale a pena porque é uma profissão supervalorizada e a remuneração é boa”, destaca.

A Cirurgiã-Dentista e mestranda, Samantha Sousa, dá algumas dicas para estudantes que pretendem sair com a vaga de trabalho garantida. “Vale a pena lembrar que nesta primeira fase pós-formatura, oportunidades de emprego surgem para aqueles alunos que demonstraram maior empenho, dedicação, ou simplesmente, para aqueles que demonstraram mais interesse, maior facilidade de articulação com os pacientes, com os colegas e com os funcionários.”

O Presidente do CFO, Juliano do Vale, fala do empenho da atual gestão para a valorização de estudantes, profissionais e do mercado de trabalho para fortalecer a Odontologia no geral. “O CFO está lutando para qualificar ainda mais a Odontologia, com a luta contra o EAD na saúde, por exemplo, evitando que estudantes saiam da universidade sem o conhecimento necessário. A autarquia também trabalha no aprimoramento e evolução das especialidades, como o caso da Harmonização Orofacial criada em janeiro pela Resolução CFO 198/2019 e na agilidade nos processos de admissão de outras especialidades realizadas pela Comissão de Ensino”.

Gostou desse conteúdo? Compartilhe com outros Colegas

Share on facebook
Share on twitter
Share on whatsapp
Share on telegram
Share on linkedin